10
fev
09

O que nós aprendemos com os bigodes

bigodeslucas1
Os mais influenciáveis pelo hype dirão: “não compensou o tanto de ofensas e comparações escrotas que vocês ouviram”. O que, de fato, aconteceu. Fomos chamados de porteiro de prédio, prefeito, pai do Cascão, colunista de games e até de “tio, até que horas vai o recreio hoje”. Sim, isso é fato.

Por outro lado, ganhou a união. A persistência.

Sem falar que teve neguinho pegando muié pra caraio depois do bigode ae, tio. E mina também mano, mó neurose…

Enfim. Vale encarar o concurso de bigodes como uma luz no fim do túnel… A volta do blog com força total, dessa vez sem piadas internas… O encontro de um amigo de infância/amo de leite de um dos integrantes do blog no meio do caminho… A volta dos downloads da banda de roque Creed no Limewire… E, principalmente, a volta da confiança em nosso próprio selfestim (lê-se self steem). E, até onde eu sei, é isso que importa – aliás, isso e o Bilhete Único.

**
Em tempo. O texto acima tem os direitos livres e pode muito bem ser divulgado como um spam maldito. Isso até que não apareça nenhum daqueles que dizem ser do Arnaldo Jabor, Mario Prata, Nuno Leal Maia e demais escritores de renome.

Anúncios

0 Responses to “O que nós aprendemos com os bigodes”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


Anúncios

%d blogueiros gostam disto: